sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Sírios

Síria

Por volta de 1000 a.C. era dividida em vários Estados: Gesur, Zobá, Arã, Damasco. Mas quando o rei de Zobá perdeu uma batalha em 990 a.C. para Davi, os sírios uniram-se sob a liderança de Damasco para formarem uma grande nação. De fato, os sírios invadiram Israel várias vezes, sob a liderança dos reis: Ben-Hadade I, Ben-Hadade II, Hazael, Ben-Hadade III e Rezim (PHRB-88)




A Síria possui uma história muito antiga, desde os arameus e assírios, marcada fortemente pela influência e rivalidade de Mesopotâmia e Egito. Depois de ser ocupada pelos persas, a Síria foi conquistada por Alexandre III da Macedónia. Na época helenística passou a ser centro do reino dos selêucidas e se converteu em uma província romana no século I a.C.. Grandes cidades se desenvolveram nessa região como a mítica Palmira, uma das mais originais e descanso de caravanas.

Com uma história documentada por achados arqueológicos de mais de 50 séculos, a Síria, que na antiguidade incluía também a Mesopotâmia (actual Iraque) e o Líbano, foi sucessivamente ocupada por canaanitas, fenícios, arameus, hebreus, egípcios, sumérios, assírios, babilónios, hititas, persas, gregos e bizantitinos.

Com a ascensão do islamismo, a Síria foi um dos focos mais importantes da civilização árabe, sobre tudo na época do califado omíada (660-750), centrado em Damasco, e da dinastia hamdanita (944-1003), centrado em Alepo.

Foi tomada pelos Árabes no século VII, pelo Califa Omar, que libertou a Síria do julgo bizantino. No Ano de 636 d.c. Damasco virou a capital do mais poderoso império da época, o Omíada. A Igreja de São João Batista virou a Mesquita Omiada de Damasco. Em 711, durante o Califado de Al Walid as tropas Bérberes sob comando de Tarik Ibn Ziad entram no Império Visigótico, e com o apoio dos herdeiros legítimos do trono de Toletum, matam o Imperador Roderico na Batalha de Guadalete. Roderico era tido como um tirano, e o Califado contava com o apoio do Bispo Opas de Híspalis, do Conde Juliano de Transfetana e até com um apoio secreto dos herdeiros do trono, impedidos por Roderico, Sisebuto e Ebas. Além de anexar a Ibéria, Al Walid anexou todos os territórios desde o Rio Eufrates até o atual Paquistão. Em 732, o Califa de Damasco, Hisham ibn Abd al Malik envia um gigantesco exército para garantir a expansão do califado pela Europa. Foram atacados pelo exército franco de Carlos Martelo não muito longe de Paris, sendo derrotados. Em 750, o último califa Omiada, Marwan II é assassinado, e os Abássidas assumem o poder do Califado e transeferem sua capital para Bagdá, enquanto os Omiadas fogem para Córdoba, na Espanha. Os omiadas só puderam reestabelecer um Califado em 950, com Abd Al Rahman III. Mas, a esta altura, Damasco já tinha perdido sua importância política, sendo agora um centro regional. Em 1175, Salah Al Din unifica o Egito, Síria e Iraque, e estabelece capital novamente em Damasco. Porém, após a reintegração de Damasco ao Sultanato Seldjúcida, a Síria volta a ser uma mera província.

Foi objeto de ambição estrangeira o que conduziu a divisão do seu território. Os cruzados se estabeleceram na Síria durante algum tempo e construíram importantes fortificações, como o Krak dos Cavaleiros. Finalmente, em 1516, Síria passou a formar parte do Império Otomano.

Depois da queda do Império Otomano durante a primeira guerra mundial, a Síria foi administrada pela França até a independência em 1946.

Na guerra dos seis dias em 1967, a Síria perdeu os montes Golan para Israel. Desde 1976 até 2005, tropas sírias ficaram estacionadas no Líbano. Nos anos recentes, Síria e Israel tiveram conversações de paz ocasionais a respeito do retorno das colinas de Golan.

Cultura


Mosaico romano de Antióquia (detalhe), Museu do Louvre.


Artes populares

Síria conserva atividades artesanais tradicionais, como o trabalho em metal, ebanisteria, tafiletería e trabalhos em seda. Ainda se pode encontrar em Damasco, Hama e Aleppo tecedores de seda trabalhando em seus teares de madeira, como faziam seus ancestrais em Ebla a tempos atrás. Sopradores de vidro em fornos de cerâmica recordam a seus antepassados que inventaram como colorir o vidro a 3.000 anos atrás. Os artistas ainda desenham heróis épicos quase idênticos aos que estão gravados nas pedras por seus antepassados do ano 3.000 antes de cristo.

Arquitetura

No terreno arqueológico Síria conta com uma importante história. Entre 660 e 750, Damasco viveu uma idade de ouro com a Dinastia dos Omeyas que determinou a aparição de um grandioso estilo arquitetónico composto, que combinava influencias antigas e bizantinas com tradições sírias e mesopotâmicas.

A arquitetura civil atingiu um refinamento inigualado quando os turcos estenderam sua hegemonia sobre Síria no século XVI. A arte da corte otomana outorga preponderância a decoração, que mistura delicados motivos vegetais com caligrafias sutis.

Acontecimentos culturais

Durante todo ano se celebram na Síria acontecimentos culturais interessantes. Exposições, leituras e seminários são propostos nas Universidades, museus e centros culturais. A pintura e escultura dos artistas locais são expostos em galerias privadas em todo país. Entre os artistas de renome figura o pintor Fateh Mudarress, Turki Mahmud Beyk, Naim Ismail, Maysoun al-Jazairi, Mahmud Hammad y Abd al-Qader Arnaout entre otros.

A repressão política manteve a produção literária quase morta. Com exceção ao autodidata Zakariya Tamir, que viveu em exílio em Londres desde 1978. Sua obra gira em torno da vida diária na cidade, marcada pela frustração e desespero nascidas da opressão social.

Um grande número de festivais musicais acorrem regularmente na Síria. Destaca-se o Festival de Música de Câmara de Palmira. A televisão conta com dois canais, um em árabe e outro inglês e francês. Além de jornais em árabe, existem jornais locais em inglês.

Fonte: Wikipédia

4 comentários:

Hugo Hoffmann disse...

Olá amigo,

Tenho uma dúvida. Quem era o rei da Síria, por volta de 852-841 a.C. ?

Se puder me responder por e-mail, ficarei muito grato, meu e-mail é:

biohoffmann@hotmail.com

Jorge Eduardo disse...

Excelente site de Historia. Parabens

Kakautour disse...

Ben Hadid.

Kakautour disse...

Hadad